Dalai Lama

O CAMINHO DE SANTIAGO

Camino de Santiago. The Way of Saint James. Chemin de Saint Jacques. Jakobsweg.

Diferentes nomes, diferentes línguas e culturas, um só Caminho.

O QUE É?

 

Declarado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade, o Caminho de Santiago de Compostela é a peregrinação mais conhecida do mundo, percorrida desde a Idade Média. O objetivo é chegar à cidade de Santiago de Compostela (Região da Galícia, Espanha), onde se encontram os restos mortais do apóstolo São Tiago (ou Santiago Maior), que foi para a Galícia disseminar a palavra de Jesus Cristo. Hoje, independente de qualquer religião ou crença, as diferentes rotas espalhadas pela Europa congregam pessoas de todos os tipos, idades e cores, do mundo todo.

 

Ao longo de todo ano, milhares de pessoas percorrem centenas de quilômetros, durante muitos dias, da forma como acharem melhor: a pé, a cavalo, de bicicleta. O ponto de partida, a quantidade de quilômetros percorridos ou de dias de caminhada, quem define também é o próprio peregrino. Você é totalmente livre para caminhar o quanto quiser e decidir quando e onde parar.

 
 

POR QUE FAZER?

O QUE LEVA PESSOAS DO MUNDO TODO A CAMINHAREM TANTO?
 

É muito difícil responder a essa pergunta somente com uma frase ou uma simples explicação. O Caminho de Santiago é um conjunto de experiências, vivências, sentimentos e emoções, que será diferente e individual conforme cada pessoa, variando, ainda, com o momento de vida de cada um. É o tipo da coisa para a qual se diz ‘pessoal e intransferível’. Hay que vivir!

 

De forma geral, o Caminho ajuda a pessoa a se conhecer melhor, a se conectar com ela mesma e com o momento presente e a dar valor para o que realmente é importante na vida. Cada passo é repleto de intensidade. É um caminho de superação, desapego e muito autoconhecimento. Um momento de se permitir ser quem você é. E esse encontro com você mesmo é realmente inevitável.

 

Os motivos que levam as pessoas a caminharem são os mais variados possíveis. Tem gente que conhece alguém que já fez o Caminho, gostou e por isso o recomenda. Existem pessoas que já leram algum relato na internet ou um livro (O Diário de um Mago, do Paulo Coelho, por exemplo). Alguns vão com um objetivo específico, como emagrecer ou livrar-se de um vício.  Outros caminham para passar um tempo na natureza. E há os que caminham em busca de autoconhecimento, desapego ou mesmo para descobrir/exercitar a sua espiritualidade e conexão com algo maior.

 

E quem caminha?

 

Tudo quanto é tipo de gente, de todas as idades, de várias partes do mundo, com ou sem religião. É possível encontrar cadeirantes, pessoas idosas, crianças e bebês (com suas famílias, claro!), jovens, pessoas ricas e pobres. Na verdade ser rico ou pobre não faz a menor diferença quando se está caminhando. Naquele momento, todos são iguais, todos passam pelas mesmas dificuldades e ter ou não mais dinheiro na conta, é algo que absolutamente não faz diferença.

Todos estão lá com um mesmo objetivo: chegar a Santiago de Compostela.

É muita gente caminhando, há séculos, com esse mesmo objetivo. E isso é muito forte. Isso torna a atmosfera e a energia do Caminho muito especiais.

 

E aí, preparado?

Envie seu email para receber mais  informações sobre uma vivência de muito autoconhecimento no Caminho de Santiago:

 

 

 

SÍMBOLOS DO CAMINHO DE SANTIAGO

 

Existem vários símbolos que representam o Caminho de Santiago. Eles servem tanto para identificar as pessoas que estão fazendo o Caminho, quanto para demarcar o Caminho em si. Talvez você já tenha visto algum destes por aí.

O principal símbolo é a Concha de Vieira,  facilmente encontrada na costa da região da Galícia. Existem várias explicações sobre o porquê de ela ser o símbolo do Caminho. Em minha opinião, a que mais faz sentido é essa: os peregrinos que regressavam de Finisterra – a 80 km de Santiago de Compostela, é o ponto mais a oeste da Europa e que, por isso, antigamente era considerado o fim do mundo ou “fim da terra” – mostravam aos seus familiares e amigos a concha como prova ou símbolo de que fizeram a peregrinação até Santiago de Compostela. Algumas fontes indicam que a peregrinação até o “fim do mundo” é ainda mais antiga, anterior ao cristianismo. Hoje é um símbolo que todos carregam, desde o início da caminhada, para indicar que estão fazendo a peregrinação até Santiago.

Os sulcos da concha representam também as diferentes rotas utilizadas pelos peregrinos. Ao final, assim como os sulcos que se juntam em um só ponto na base da concha, chegam todas ao mesmo destino.

Ligado à Deusa Vênus, o símbolo da concha também representa o renascimento de uma pessoa e, no caso do Caminho, todas as mudanças que ocorrem com a pessoa durante a jornada. Para mim, o símbolo também representa a vida, que é uma jornada assim como o Caminho.

 

 

 

Outro símbolo muito comum, que serve para sinalizar o caminho, são as setas amarelas pintadas em árvores, no chão, em muros, paredes, pedras, postes, pequenos marcos de concreto etc. O Caminho é muito bem sinalizado (principalmente o Caminho Francês), basta seguir as setas e conchas que aparecem pela trilha.

 

 

 

A Cruz de Santiago é outro símbolo comumente visto pelo Caminho na forma de adornos, pingentes, ou então gravado em roupas, cartões-postais e outros souvenires. É uma cruz vermelha, que representa uma espada com forma de flor de lis na empunhadura e nos braços.

É um símbolo da Ordem de Santiago, nomeada em referência ao Apóstolo São Tiago (Santiago Maior), santo padroeiro da Espanha. A Ordem foi fundada no século XII, na época das Cruzadas, para combater os muçulmanos e guardar as fronteiras dos reinos cristãos da Península Ibérica. Assim, faziam também a proteção dos peregrinos que percorriam o Caminho para visitar o túmulo de Santiago Maior durante a Idade Média. Dizem que os cavaleiros levavam pequenas cruzes com a parte inferior afiada, podendo assim cravá-las no solo e fazer suas orações diárias.

 

 

 

Existem ainda alguns outros símbolos, relacionados com as roupas clássicas de um peregrino, que são representadas, também, nas imagens do Apóstolo São Tiago.

- Cajado ou bastão de caminhada: tradicionalmente de madeira, utilizado como apoio para caminhar. Hoje em dia, continua sendo usado por muitos caminhantes em suas versões mais modernas e mais leves. Não é imprescindível, mas é um excelente auxílio nas várias subidas e descidas do Caminho, pois ajuda a aliviar a pressão nos joelhos e tornozelos.

- Cabaça: utilizada como recipiente para guardar água. Normalmente fixada junto ao bastão.

- Chapéu, capa e pequena bolsa para guardar as coisas necessárias para a viagem.

 

Galeria de Fotos do Caminho de Santiago

Para ver um pouco mais como é o Caminho de Santiago de Compostela, acesse aqui a nossa Galeria de Fotos.